There is always more then meets the eye!

19
Ago 04

Um dia perguntaste se sabia o k era o amor

 Respondi-te k amor era falar-te em silêncio.

 Sorrir-te com os olhos e ver-me, em ti, reflectida

 Respondi-te: que amor era o barulhinho bom k fazias

 Enquanto dormias,

Olhava-te e via

 Como respiravas no silêncio

 Estavas em paz… sorrias.

 Amor eram os barulhinhos que fazias

 No escurinho da noite!

Olhava-te e percebia…

 Que não precisava de sons,

 Não precisava de toques ou carícias…

 Porque o barulho baixinho que fazias

 Era o silêncio que nos abraçava

 E acolhia…

 Amor era olhar no silêncio, no escuro…

 Ouvir-te sem falares

 Ver-te sem estares

 Sentir-te e sorrir-te…

 Na ausência de sons

 Ou visões…

 Amor era sentir no silêncio

 O que as palavras não traduziam…

publicado por crowe às 20:47
tags:

Já cá tinha vindo... só não comentei pk o sapo n deixou :S ai o AMOR!!! :) neste caso o amor tb é poesia... absorvente! beijokasmaster_of_poets
</a>
(mailto:master_of_poets@sapo.pt)
Anónimo a 20 de Agosto de 2004 às 14:50

Agosto 2004
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
11
12
13

16
17
18
20

22
25
26
27
28

29
30
31


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Porque sim!

links
as minhas fotos