There is always more then meets the eye!

24
Ago 04

De onde estava

Assisti à morte de um dia.

Ao enterro suave e ritmado do sol

Nas águas de um mar

E enquanto a luz se extinguia

Eu ficava ali no crepúsculo

Sentindo o mar acalmar.

Enquanto o sol persistia dando luz gaivotas esvoaçavam contentes dançando à sua frente poisando na sua cor... ou pairando sobre ela.

A luz fugia...

E as gaivotas que me serviam de companhia

Naquela praia já vazia... fugiam!

Iam levando a inquietude de um mar... gaivotas.gif

O mar acalmava e ali estava eu…Sozinha!

E chorei sozinha

Um choro profundo do fim de mundo…

Um choro

De lágrimas salgadas

Que chorei por todas as noites e dias

Vazias… sem nadas!

Chorava as lágrimas de um mar

Que tinha cá dentro

Que não guardava sol

Nem lua…

Guardava no mais íntimo de si

Um mundo que como a noite

Que chegava

Não tinha luz… estava no escuro!

Chorava por um fim anunciado

Lágrimas com sabor a mar

Que morriam nos lábios

E lá prendiam a dor

E as palavras… Quando a lua chegou: sorri!

Finalmente percebi,

Até no escuro,

no Nada Há sempre alguma luz, (mesmo que redonda) mesmo que emprestada

Que nos ajuda a afugentar a dor e o

Choro do mundo profundo e escondido

Que temos em nòs... E que é tudo ... não é nada!

publicado por crowe às 13:10
tags:

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.


Agosto 2004
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
11
12
13

16
17
18
20

22
25
26
27
28

29
30
31


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Porque sim!

subscrever feeds
links
as minhas fotos
mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO