There is always more then meets the eye!

15
Jan 05
O toque com que me tocas A forma como me embalas Faz com que te olhe, te siga Me deixe levar sem nada saber Sem nada lamentar… Sinto-te debaixo da pele Como se corresse uma parte de ti no sangue Que me alimenta o corpo! Se um dia te disser que não quero estar aqui Aninhada a ti, Voar para longe de ti… sem sul ou norte Será o dia em que a Terra perdeu as manhãs Perdeu a luz ! Se um dia te disser que não sei em que dia Te descobri em mim… será a noite Em que não me tocas-te a alma O teu beijo fugiu ao meu! Mas… o toque com que me tocas Dá-me o norte A forma como me embalas nos dias e nas noites insones Dá-me o sul! No teu olhar só vejo um reflexo: O nosso! Sou um poema que enriqueces Eu sei… Tu nunca o esqueças!
publicado por crowe às 22:34
tags:

Tenho como certo O incerto! Tenho como meu, Como certezas únicas Que nasci um dia Morrerei um outro dia Quando? Não o sei! Sei que preciso de magia e céus azuis Para onde foi a minha? Não sei! Sei que me disseram um dia que Alguém, que era alguém na minha existência Enquanto me dissesse: olá! Eu saberia sempre o que era estar Em companhia! Sei que muitas coisas me foram ditas Prometidas… juradas... outras subentendidas nas entrelinhas de um texto que já sabia! A solidão sorri-me Onde está a magia dos meus céus azuis? Onde está a minha companhia? Sei que nasci um dia Num outro, morrerei! Quando, felizmente, não o sei Onde anda a minha alegria? A minha magia? Bem dessas… não sei!
publicado por crowe às 19:09
tags:

Janeiro 2005
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
13
14

18
19
21
22

24
25
26
27
29

31


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Porque sim!

subscrever feeds
links
as minhas fotos
mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO