There is always more then meets the eye!

03
Jan 05
Desculpa! Perdoa-me não me ter calado! Há palavras que magoam e podiam não ser ditas Não vi que atrás do muro de palavras Falsos sorrisos, falsos olhares Falsas emoções escondias entre os cílios Esqueci que a honestidade pode magoar mais que uma mentira Que tudo se pensa mas nem tudo o que sai por entre os lábios Se diz…. Frágil como uma flor ao relento Foi o que descobri em ti… tarde! Muito tarde As palavras atiraram-te vezes demasiadas ao chão Por detrás do muro, que não vi, e sumptuosidade do meu ego não vi A fragilidade que há em ti! Querendo ser mais forte que tu… disse sem cuidados O que me ia na mente! Nunca percebi a minha raiva Nunca me apercebi da tua… criada por mim Alimentada de forma gulosa por palavras que não sentia Pelos pedaços teus que partia, pisava e nunca os ouvia ou sentia! Tentando perceber porque estavas longe Porque me quebravas em mil pedaços Esqueci-me de olhar para ti De ver que és frágil! Tornei-me fria Escondendo o que sentia Perdi-te entre palavras Porque ambos somos Admitamos ou não: Frágeis! Quebráveis!

I knew you needed a friend. I knew you needed some blue skies. You need some laughter again, til magic returns to your blue eyes. You're lost in the circle of pain. Where's it all going? Each day is the same, where are you going? Say hello. Say hello. You're never alone. Something inside of yourself, when darkness approaches, your silence. Freedom's forgotten her name. Nothing makes sense you don't complain. Everything started to fall. Where's it all going? Can't make any sense of it all. Where am I going? Say hello. Say hello. You're never alone.
publicado por crowe às 21:06
tags:

Janeiro 2005
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
13
14

18
19
21
22

24
25
26
27
29

31


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Porque sim!

subscrever feeds
links
as minhas fotos
mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO