There is always more then meets the eye!

02
Nov 04
E nessa palavra demente
Onde está todo um mundo dissonante
Que revolve para o caos latente
E que se espraia consoante
Consoante o teu modo de pensar
No qual eriges essa tua realidade trágica
Na qual saltitas não sem pesar
Ansiando por uma simples palavra mágica
Palavra mágica que é fugidia e esquiva
Como uma jovem sombra chinesa
Que tentas agarrar sabendo que é furtiva
Mas que te consome com tanta beleza
Beleza é outro nome dessa palavra melíflua
Que encova quimeras de dimensão insondada
Se achas que toda essa senda é frutífera
Meu amigo, não te detenhas perante nada

@Autor: Mr. Utopia
publicado por crowe às 14:24

Um dia virar-te-ás para mim
E perguntarás “Para sempre?”
Como se o momento de vida presente
Não te bastasse
Para sentires a vida em cada golfada
Olhar-te-ei com janelas abertas
Sabendo que nada te poderei esconder
Deixarei de viver no intermitente
E responder-te-ei com estrelas nos lábios
“Quero-te a ti, e tudo o resto é um imenso nada

@autor:Mr. Utopia
publicado por crowe às 14:22

Ontem vi-te, sentada no café, pensarias em quê?

 não sorrias estavas triste,

 não sei que me deu,

 sentei-me ficamos em silêncio trocando palavras,

 mas não eras tu, era o teu reflexo, uma outra face,

 espelhada na montra, tal qual sombra,

 que deixaste cair inanimada ganhou vida,

 à tua imagem, anda por aí,

 atormenta-me,

fala-me de ti,

sussurra-me como se fora o vento,

 brinca comigo,

aproxima-se,

foge, jogos infantis,

que me incendeiam desejos,

 falam de saudades,

que estavam guardadas,

há muito ignoradas,

 memórias escondidas.

 Mas não eras tu, era só a tua sombra, o teu reflexo...

@autor: Passodianisto

publicado por crowe às 14:18

Novembro 2004
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
10
12

15
16
17
18
19
20

21
22
24
25
26
27

29
30


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Porque sim!

subscrever feeds
links
as minhas fotos
mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO