There is always more then meets the eye!

17
Set 04
la7643-001.jpg
Há, nestas noites perdidas,
a dor gelada do teu corpo ausente,
do abraço das tuas pernas fendidas
desabrochando num sorriso quente.

é a saudade dolorida
das tuas mãos cruéis
que me rasgava a pele ferida,
desenhando no meu corpo

o mapa do teu desejo,
a mordedura da tua boca salgada
percorrendo-me insaciada
na tortura de um longo beijo.

sempre nestas noites perdidas,
a dor gelada do teu corpo ausente,
da prisão das tuas pernas rendidas
desabrochando num gemido quente.
ec6815-002.jpg
e quando o sol começa a despontar
e eu consigo adormecer,
juro-te, minha querida,
que nunca mais quero acordar."

@Poema de António Maga,poeta contemporâneo (gentilmente enviado por Coral2).
publicado por crowe às 19:29

16
Set 04

sunrise1.jpg

E se um dia essa palavra mansa

 Que responde pelo nome de confiança

 Fosse assassinada à frente de todos

 Fazendo pender um dos pratos da balança

 E se um dia os sorrisos que bailam

 Em portos de abrigos conhecidos

 Desaparecessem, escondendo-se do mundo

 Que seríamos nós, senão corpos despidos?

 E se um dia o fogo que nos aquece a esperança

 Que nos reconstrói e reeduca

 Desse lugar a um lugar vazio e inóspito

 Onde uma gargalhada é uma lembrança

 E o pensar uma adaga pontiaguda

 E se um dia?

Autor: Mr. Utopia

 


125_l.jpg

Menina d'água,

 Menina Azul,

 Não importa que o Sol não brilhe

 Neste céu, temporariamente, nublado

 O vento irá soprar levando com ele a neblina que te turva a visão.

 Levará o silêncio e

 E trará novas melodias.

Vais flutuar na superfície

 Livre!

 Com a tua luz azul!

 Mulher, menina Azul

 Através da chuva verás a luz do sol

 e sentirás a saudade indo no vento.

 Sem tristeza, nem choro

 Nos olhos dos teus pedaços de ti

 Tens as recordações que necessitas.

 A Força de que te esqueces...

 Menina melancolia

Menina, Mulher, Mãe Azul...

Ana Azul Colorida

 Sorri em liberdade

Vive e ri em Saudade

 Com aquilo que tens e queres de verdade.

publicado por crowe às 11:28
tags:

Vives num jardim de flores de papel

Que perfumas com Channel.

"Cultivas" árvores de plástico

 Porque queres ter Primaveras eternas

 Foges da Morte e da velhice

 Neste mundo insano que construiste.

 Foges do velho, mas temes o novo

 Vives numa alegre euforia

 Uma euforia ébria e sem razão

Total ausência de sentimentos ou sentido.

Belezas aparentes...fugazes...Vazias!

sinretizando-flores-04.jpg 

Como as plantas de papel perfumadas com Channel. 

Corpos sem poesia

 Almas com mania

Bailando em volta de uma fogueira

 Como borboletas hipnotizadas em euforia.

publicado por crowe às 11:12
tags:

15
Set 04

Van Gogh, Vicent - Wheat Field Wiht Crows, 1890.jpg

(Vincent Van Gogh, campo de trigo com corvos, simpáticamente enviado por Idade-da-Loba) Este é só para apreciarem...


Iceberg.jpg

I don't want to be your winter...

Let me be your cold light!

Serei pedinte, fria, se o quiseres

Mas, não deixes que seja o teu Inverno

Deixa que seja a tua desculpa para sorrires!

I will be your pale light... In cold nights

@ Imagem cortesia da Loba. Obrigado!

publicado por crowe às 13:06
tags:

14
Set 04

FonteTelha_8280026.jpg

@ Larga as raízes e .... voa... para lá do horizonte... onde a liberdade és tu! (Fonte da Telha)


12
Set 04

Este post é mais um desabafo, uma situação, uma partilha que qualquer outra coisa... enfim... não é um poema e de poético só mesmo as gargalhadas... Numa das minhas incursões pelos blogs do sapo li um post (para ser fidedigna aqui fica a fonte: http://euninguem.blogs.sapo.pt) em k a autora do blog contava a resposta de uma amiga quando lhe disse que tinha um blog. Eu armei-me em engraçadita e, no outro dia estava, no cafe com os amiguitos e as amiguitas e lembrei-me de dizer aos únicos k ainda não sabiam(tinham estado de férias):

-Oh casalinho sabem uma coisa?!?!?!? (como se isto fosse forma de iniciar um diálogo decente)... Tenho finalmente um Blog! Eu de enorme sorriso...

- Ai sim? Finalmente, estavas sempre a dizer que querias um! E como é ele? Eu muito contente porque os meus amigos sabiam o que era um blog. Respondi-lhe que era de poesia.

- Olha lá mas o cão chama-se Blogue ou Poesia? Olha que não existe raça nenhuma com essas designações...

Preciso de vos dizer que o grupo que estava comigo desatou a rir à gargalhada??? Pois é ... meus amigos, com cursos superiores, idade para ter juizo e utilizadores habituais de internet e não sabiam o k era um blog!...Pior achar que eu denominaria um cão de Blog... ! Só faltava dizerem que tinham vindo a um "site" chamado Asas Negras e que "o" Crowe tinha uns poemas giros em que colocava fotografias tiradas por mim... lol ;P


11
Set 04

From the tip of your tongue

 Thru your mouth

 They flow,

Little words

 I do not understand…

 Jorram do teu interior

Desconexas…

 sem sentido…

 Sem aviso!

Como um segredo

 Há muito guardado

 Num peito encerrado.

They came in to my ears

Thru my head.

Filling her with strange and unfelt thoughts

 I feel chills up and down my spine!!!

(uuuu… humm)

São palavras desconhecidas,

 Palavras nunca pronunciadas.

São como uma respiração curta e entrecortada

 No meu pescoço nú…(and you are milles away)

Welcome words!

I welcome your words,

That I want to know and understand.

Sejam bem vindas palavras sentidas!

Voltem sempre e encham de movimento:

Os lábios, a língua, o palato…

 Dessa boca tão longínqua

Com voz tão meiga e profunda…

So, welcome words

 Welcome the thoughts you say!

Welcome mouth e voice!

 Welcome you and the chills you

 Bring up and down my spine.


08
Set 04

Era uma vez… hum, que bela maneira de se começar uma história(qualquer história!)! Infelizmente, as histórias já não são contos de fadas com muita renda e bordado em que há um príncipe (sempre muito bonito), uma princesa(ainda mais bonita) e um final em que todos são felizes para sempre. Era uma vez… era, era! Hum, hum, pois era…! No início do Shrek, o ogre verde, usa o conto de fadas na falta de papel higiénico. Nós, usamo-lo como desculpa para fantasias que não concretizamos e para sossegar crianças (pobrezinhas, passam a adolescência à espera de encontrar o príncipe/princesa que os arrebate de amor e de uma fada madrinha que as irá livrar da sua terrível vida)… Pois é! Fadas madrinhas e príncipes encantados ? Lamento mas, nem em brinde de supermercado, prémio de quermesse, etc… Não há, esgotou! Que bonito seria: um belo príncipe e uma bela princesa num Era uma vez e viviam felizes para sempre (só no fim da história, claro. Porque até lá é fazê-los penar nas mãos de rainhas e madrastas)! Que é isso? Felizes para sempre? O fim? Mas, fim de quê? Então quando nós estamos a perceber a história (a encher a cabecinha de nuvens multicoloridas) é que acabam com aquilo???! Está mal, parece um filme terminado às pressas por cortes orçamentais… ou fazem como o ogre verde e limpam logo o ** aquilo… ou então deixem lá ver como é a tal felicidade comunitária (dava jeito, já que o restante só serve mesmo, para preencher espaço na memória) !

§ Um apontamento em prosa... eu avisei que eles vinham aí! ;) §


Setembro 2004
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9
10

13

19
20
21
25

26
29


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Porque sim!

subscrever feeds
links
as minhas fotos
mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO