There is always more then meets the eye!

26
Jul 04

825954-001.jpg

Sempre que tento voar... caio!

Sempre que adormeço... sonho!

Neste sonho estás tu... assombrando-me a noite.

 Assombrando-me os pensamentos e os dias.

Peço que um dia a tua imagem desvaneça

E eu esqueça! Esqueça o que sinto e não devo!

Esqueça as palavras que tenho para ti e não posso.

Mas, só neste instante e muito baixinho

 Vou murmurar no silêncio o que os sonhos

 E os pensamentos guardam sozinhos.

Vou murmurar ao céu, à lua, ao sol, aos ventos e mares

 Que queria ser mais do que um corvo

De voz áspera e fria

Vagueando neste mundo só e sem alegria... ( que a força que tenho é tua

 Que o sorriso dos meus lábios é teu

Que fecho os olhos e te vejo Que sem ti não voo... caio na noite fria!)

 Que me perdoes a fraqueza Mas mesmo sem lindas palavras se pudesse...

Diria que o amor que por ti sinto jamais acabaria.

publicado por crowe às 21:00
tags:

Pega-me na mão com confiança

 Leva-me contigo pelo tempo.

 Devolve-me as asas e a esperança!

 Voa comigo para longe daqui,

 Vem para onde a minha voz seja mais que um choro

 A tua imagem seja a realidade que quero

 E não a fantasia que sonho!

 Voa comigo, com as asas que me deste

 Para o único local onde posso libertar o que a alma guarda em silêncio:

 Preciso de ti!

 Pega-me na mão e cola-te a mim.

 Sem ti, não tenho asas!

 Sem ti, não consigo voar!

 Perdoa-me a fraqueza... mas...

 ... mas sem ti sou ave sem penas,

 Anjo sem asas,

 Corpo sem vida...

 Perdoa querer-te e não poder

 Beijar-te em sonhos...

 Sonhar abraçar-te todos os dias...

 Perdoa-me ter perdido a força

 Ter-me rendido à tua!

 Perdoa o ter asas, sem serem as tuas

 Perdoa a fuga...

 Resta-me somente a esperança de sonhar e neles viver

 O que a realidade não me permite.

brxbxp46619.jpg

(para aquela pessoa que soube exactamente o que este poema é!)

publicado por crowe às 20:58
tags:

Sinto a tua respiração no meu cabelo,

Sinto o teu sorriso na minha boca

 Se fechar os olhos tenho-te perto

 Se esticar o braço alcanço-te sem esforço...

 Sem esforço lembro-me de ti a rir comigo

 Lembro o que foi e o que poderia ter sido.

 Partiste como chegaste:

Um sorriso, um beijo, um abraço.

Chegaste com asas para voar

Sobre os telhados e as consciências

 Partiste e deixaste-me qual anjo sem asas

 Pairando triste num paraíso negro e frio.

Procuro por ti, nos rostos de estranhos

 Procuro por ti, nas ruas, nos ares, nos lagos...

Sinto-te perto e não te vejo!

Não te encontro e desespero...

Sento-me à janela e peço à lua que me dê uma pista tua...

 A lua vira-me a cara escondendo-me a tua.

 E eu fico somente com a recordação tua!!!

publicado por crowe às 20:56
tags:

No fundo de um aquário

 Isolaste-te sozinha...

Mergulhas só em mares profundos de silêncios mudos,

 Noites sem fim tentanto flutuar assim...

 Só, numa noite só tua.

Só!

Numa solidão sem céu nem lua.

 Só! Andas pela rua

Com a alma nua

Entre as tuas altas torres e muros receando as prisões

 Querendo uma liberdade só tua...

 Sem perceberes que a liberdade é medo da dor e de sentir

 A tua prisão é o aquário que tens como mar

E os sentimentos que escondes.

(para ti Anabela)

publicado por crowe às 18:00
tags:

Julho 2004
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9
10

11
12
13
14
15
16
17

18
19
20
21
22
23

27
28
30
31


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Porque sim!

subscrever feeds
links
as minhas fotos
mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO