There is always more then meets the eye!

26
Jul 04

No fundo de um aquário

 Isolaste-te sozinha...

Mergulhas só em mares profundos de silêncios mudos,

 Noites sem fim tentanto flutuar assim...

 Só, numa noite só tua.

Só!

Numa solidão sem céu nem lua.

 Só! Andas pela rua

Com a alma nua

Entre as tuas altas torres e muros receando as prisões

 Querendo uma liberdade só tua...

 Sem perceberes que a liberdade é medo da dor e de sentir

 A tua prisão é o aquário que tens como mar

E os sentimentos que escondes.

(para ti Anabela)

publicado por crowe às 18:00
tags:

Este poema é um espelho, uma janela aberta, para akilo que costumo fazer em determinadas situações ... compreendo-te, ... "Anabela" :-)
A "autora" ;-) conseguiu colocar em palavras uma miscelânea de sentimentos, que se traduzem em comportamentos ...La Luna
</a>
(mailto:)
Anónimo a 27 de Julho de 2004 às 13:50

Hoje deixa-nos uma breve análise de alguem que se esconde de si propria, e k parece ter medo de voar, tv a Anabela preciso um pc de asas negras p se expandir, deixar ir e libertar :)Passo
</a>
(mailto:)
Anónimo a 27 de Julho de 2004 às 10:11

Gosto.
Penso que não seja o meu auto-retrato,pois revela uma solidão doentia,um vazio sem rumo nem objectivo.Anabela
</a>
(mailto:gomesanabela@netcabo.pt)
Anónimo a 26 de Julho de 2004 às 20:53

Julho 2004
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9
10

11
12
13
14
15
16
17

18
19
20
21
22
23

27
28
30
31


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Porque sim!

links
as minhas fotos