There is always more then meets the eye!

14
Ago 04

Tu partiste,

 Vagueias livre…

 Onde? não sei…

 Sei que deixaste o cheiro.

 Marcas impressas em tudo o que tocaste!

 Tentei lembrar como reagias,

 Como sorrias…

 Só consegui lembrar-me como

 Me via espelhada nos teus olhos

 Como éramos semelhantes.

 Rebeldes sem causa,

 Matando tempo sempre à espera de uma nova causa

 De um novo motivo para dar vazão à rebeldia Cruel mania!

 Mania de matar um tempo que pensámos ter demais

 Ignorantes miúdos…

 Desperdiçando segundos

 De um tempo que não possuímos

 Tempo que nos possui e comanda…

 Partiste e deixaste vazio e sem sentido

 O riso que riamos

 A música que ouvíamos…

 Fecho os olhos,

 Sussurro baixinho

 As mudanças que o tempo não permitiu que conhecesses e saboreássemos…

 Culpo o tempo,

 O fugaz tic-tac… de um relógio

 que não pára por nada, nem ninguém

 um tempo que foge, como levado pelo vento…

 Os anos foram poucos,

 os dias, horas, minutos escassos…

 Nos retratos, os teus olhos

 Já não reflectem

O que conquistaste e o que o tempo te roubou…

 O vidro que envolve os teus retratos

 Só reflecte a saudade e a marca do tempo.

 Por aqui vagueámos,

 Alheios das responsabilidades e da fugacidade da vida…

 Controlo da vida e do tempo que dispomos é uma ilusão…

 Controlo sobre uma ilusão que nos isola

 E percebemos que ao negligenciarmos

 A verdade e a responsabilidade

 Estamos a isolar-nos…

 Num tempo que julgamos nosso…

 Mas que nos domina e comanda

 Um injusto ladrão… que não volta atrás…

 Não aceita desculpas nem ouve apelos…

 Que tudo leva e apaga.

 Mas mesmo no escuro consigo ouvir e relembrar…

Olho em volta e sinto as marcas que deixaste

 Aquelas, que nem o tic-tac injusto de um relógio

 Conseguiu apagar.

 Não controlamos o tempo

 Nem a linha que dividiu a Vida da morte

 Mas as recordações ficaram,

 Tu ficarás sempre

 Nas mentes e nos corações…!

 O tempo fugiu-nos

 Mas as memórias ficaram…

(foram 21 estações… sempre a florir! ainda nos encontraremos onde estiveres… para sorrir … )

publicado por crowe às 22:09
tags:

Tristesa imensa nestas palavras, juventude, infancia q se passou, alguem q se perdeu, q ja n volta, a vida é feita de percas e tb de ganhos, mas geralmente o q perdemos é para sempre e o q ganhamos quem sabe ... BeijosPasso
</a>
(mailto:Passodianisto@hotmail.com)
Anónimo a 23 de Setembro de 2004 às 09:40

Depois de me teres falado sobre "ele", vim reler e ... agora compreendo mt melhor os sentimentos aqui presentes. Beijola-luna
</a>
(mailto:a_ezequiel@iol.pt)
Anónimo a 19 de Agosto de 2004 às 22:05

Olá! Obrigada pela visita ao meu blog! E adorei este teu post! Parabésn... beijinhosAran_aran
(http://capricornioemim.blogs.sapo.pt/)
(mailto:aran_aran@sapo.pt)
Anónimo a 18 de Agosto de 2004 às 17:41

de quem é o texto???? beijos, biabia
</a>
(mailto:sophiabia@iol.pt)
Anónimo a 17 de Agosto de 2004 às 20:28

Bem vinda amiga! Obrigada ... beijosCrowe
</a>
(mailto:crowenest@hotmail.com)
Anónimo a 17 de Agosto de 2004 às 17:14

Muito Lindo.
Mas não me surpreendeu.........
Tu já me habituas-te a este tipo de pensamentos.
Continua em frente.

Jokas

ReggieRegina
</a>
(mailto:reginamourao1972@hotmail.com)
Anónimo a 17 de Agosto de 2004 às 15:23

Agosto 2004
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
11
12
13

16
17
18
20

22
25
26
27
28

29
30
31


Porque sim!

links
as minhas fotos