There is always more then meets the eye!

30
Jan 05
Linda menina, Vou sentir saudades nas tuas ausências Linda menina, Volta depressa! Deixa que o vento te leve A amizade e a ternura. Aceita-os quando se prostrarem silenciosamente No parapeito da tua janela Linda menina, A amizade não aceita barreiras Os sentimentos verdadeiros não pagam portagem Saltam muros… barreiras! Linda menina, Quando a noite se puser hoje Olha a lua Vou ser a noite que a faz brilhar alto Velando por ti… Quando os lobos uivarem esta noite… E a lua te piscar o olho Aceita-lhe o colo Pensa depressa Volta num sopro de brisa Ofereço-te a curva do meu pescoço Para chorares as mágoas Ofereço-te o sorriso Nas manhãs de nevoeiro Nas tardes nubladas Nas noites escuras Linda menina Parte depressa Aquando da tua chegada Estarei eu e os restantes A esperar por ti Cheios de saudade! (O Longe só apura os sentimentos , que são de verdade A saudade só aguça a amizade e a qualidade! Agora, Ontem, Hoje, Amanhã e Sempre.) @ Linda amiga... Estou aqui!O meu número continua o mesmo
publicado por crowe às 20:06
tags:

28
Jan 05
Atende o telefone amigo, Atende-o e fala comigo. Preciso de colinho Empresta-me a curva do teu pescoço tenho gotas salgadas que teimam em lavar-me a cara. Só posso solta-las num colo amigo Vem cá ter comigo. Deixa que repouse o negrume na curva do teu pescoço enquanto me mimas: "Estou aqui contigo!" Mima-me como se fora uma infanta. Quando vieres amigo, traz os teus sonhos contigo. Conta-mos em segredo não me lembro dos meus sonhos. Se trouxeres os teus sonhos, amigo, compartilha-os comigo! Deixá-los-ei pairar no consciente ajudando a concretizá-los. Esquecendo que os meus estão desaparecidos... Atende, amigo! Preciso da tua calma! Do mimo e companheirismo e mesmo que não acredite Preciso que me digas: "- Já passou! Estamos contigo!"
publicado por crowe às 08:56
tags:

23
Jan 05
Hoje vi-me pelos teus olhos
E quis que a imagem lá espelhada fosse realmente minha
O meu reflexo era muito maior que eu
Os meus olhos dialogavam com os teus
Numa linguagem que eu desconhecia
Diálogos mudos
Entre almas espelhadas
Em íris matizadas.
Queria que me levasses dali
Antes que as palavras desajeitadas
Escapassem por entre lábios de um ou outro.
Queria acreditar que era aquela imagem
Queria crer que o que via era a tua
Fiquei inerte,
Gelada!
Quebrada!
Quando vi, que a imagem que tinhas minha
Era grande
Mas mesmo assim
Os espelhos que me reflectiam
Também reflectiam
Outras… Imagens de um futuro gelado!
Os nossos diálogos mudos
Eram nossos
Porque os outros diálogos podiam ser segredados
Em ouvidos alheios a mim
Num jogo sem fim…
Onde a imagem que tinhas de mim
Tão maior que eu
Ficava guardada no negro da pupila
Escondido!
untitled.jpg
publicado por crowe às 22:12

Esta noite os galos estão avariados! Deram-lhes demasiada corda ou puseram-lhes pilhas duracel. A realidade é que começaram a cacarejar à meia-noite e continuam durante esta minha madrugada insone! Se tenho de estar acordada que seja em silêncios meus não em cantorias roucas e desafinadas de galos sem capoeira. Quantas madrugadas terá esta noite imensa? Os galos não se silenciam e as galinhas já cacarejam…Um coro desafinado… que não me dá sossego! Raio de aves de penas que não voam, não cantam só desafinam os silêncios! Os galos estão avariados… chamemos um técnico! Onde estará o botão de off? Queria galos à antiga que só cantavam na hora certa! Queria galos que me avisassem do fim das madrugadas insones, anunciando-me um dia novo (com olheiras até ao queixo e baldes de cappucinos). Mas queria galos funcionais, não um que prolonga madrugadas. Numa noite insone, a quantas madrugadas dentro da madrugada consigo resistir? Galos modernos avariados que me estragam a noite sem sono… me prolongam o desespero de ter um silêncio meu! Por favor, arranjem-me um galo à antiga! Um que cante nas horas certas e não um que prolongue e repita madrugadas dentro de madrugadas!

20
Jan 05
Maravilha, São os teus olhos de menino que brinca sozinho fala baixinho abraça de mansinho! Maravilha, é a forma como olhas maravilhado para a ave desajeitada que tenta voar sozinha. Maravilha, é olhar-te nos olhos e ver a inocência que guardas quando cheio de carinho e manha me pedes: " Colinho, tia! O menino tá tão cansadinho!"
publicado por crowe às 10:56
tags:

Encontra-me um anjo com asas maiores que as minhas ...quero voar nas dele: deitadinha!!! Encontra-me um anjo com asas maiores que as minhas onde possa dormir... descansadinha! Encontra-me um anjo com asas maiores que as minhas Asas brancas e macias...onde possa planar como na brisa. Encontra-me um anjo com asas maiores que as minhas onde possa repousar o negro das minhas. Encontra-me um anjo com asas maiores que as minhas que voe baixinho... de mansinho... embalando-me com carinho!
publicado por crowe às 08:54
tags:

17
Jan 05

Não me desmontes

 Como

 Se fora eu

 Um puzzle facilmente

 Montável!

 Olha-me como sou:

Inteira

 Humana

 Dia e noite

 Insana e sã

 Uma contradição.

 Sem restrições!

 Se não entendes

 Quem

Sou

Olha!,

 No fundo dos meus olhos

 Estou eu

 Serena e inteira…

 Mas, não me desmontes

 Como se fora um puzzle

 Igual aos outros

 Com algumas imagens diferentes

 Matizes coloridos

 Em design de coleccionador

 Com as peças que me compõem

 Iguais às de toda agente!

 Olha para mim

Tenho contornos esbatidos

 Mas não iguais aos de

 toda

A Gente!

 Se me desmontares em peças iguais

 Às do mundo de gente

 Nunca conseguirás

Entender

Nem encaixar as peças

 Sem que sobrem

 Umas tantas peças minhas

Sem encaixe igual

Perdidas

Neste mundo de gente

 Com tantos contornos e matizes iguais!

 Aceita o que sou:

 Um quebra-cabeças

 Difícil

 Mas com peças (minhas) desiguais!

publicado por crowe às 17:46
tags:

16
Jan 05
@Conversas com amigos têm destas coisas. Falavamos de vícios antigos, de vícios recentes. E blá-blá, blé-blé, bli-bli, blo-blo, blu-blu!!!! Pois, tenho dois vícios recentes para juntar à lista: Toranjas(a fruta) e esta música dos The Gift... Não é uma música que me apele a memórias, recordações... a nada de significativo mas, o "ensemble" (vídeo, letra, musicalidade) está algo k me vicia... (Para o que me havia de dar para postar!) The Gift- Driving You slow I will keep my helmet on Finding someone that cares for you And I I will dress my songs cause I care for you cause I I will take my time driving you slow Driving out cause I care for you and then someone loves you but I don't care for you and I I will get my love cause I will be your love oh no there were times I could care for you but then I found that girl that's been smile for you and I start to be something and I I don't care why should I care I will get my life cause I will be your life Oh no Don't look back I will build my world I will sing my songs I will keep my helmet on and you can rule my world you can rule my songs I will keep my helmet on And then Find you someone that cares for you and I I will dress my songs cause I care for you and I I will take my time driving you slow Driving out cause I care for you And then Someone loves you but I don't care for you and I You don't care I don't care cause I will get my love and I will be your love Oh no Don't look back and you can rule my world you can rule my songs I will keep my helmet on Don't look back I will build my world I will sing my songs I will keep my helmet on
publicado por crowe às 11:18
tags:

15
Jan 05
O toque com que me tocas A forma como me embalas Faz com que te olhe, te siga Me deixe levar sem nada saber Sem nada lamentar… Sinto-te debaixo da pele Como se corresse uma parte de ti no sangue Que me alimenta o corpo! Se um dia te disser que não quero estar aqui Aninhada a ti, Voar para longe de ti… sem sul ou norte Será o dia em que a Terra perdeu as manhãs Perdeu a luz ! Se um dia te disser que não sei em que dia Te descobri em mim… será a noite Em que não me tocas-te a alma O teu beijo fugiu ao meu! Mas… o toque com que me tocas Dá-me o norte A forma como me embalas nos dias e nas noites insones Dá-me o sul! No teu olhar só vejo um reflexo: O nosso! Sou um poema que enriqueces Eu sei… Tu nunca o esqueças!
publicado por crowe às 22:34
tags:

Tenho como certo O incerto! Tenho como meu, Como certezas únicas Que nasci um dia Morrerei um outro dia Quando? Não o sei! Sei que preciso de magia e céus azuis Para onde foi a minha? Não sei! Sei que me disseram um dia que Alguém, que era alguém na minha existência Enquanto me dissesse: olá! Eu saberia sempre o que era estar Em companhia! Sei que muitas coisas me foram ditas Prometidas… juradas... outras subentendidas nas entrelinhas de um texto que já sabia! A solidão sorri-me Onde está a magia dos meus céus azuis? Onde está a minha companhia? Sei que nasci um dia Num outro, morrerei! Quando, felizmente, não o sei Onde anda a minha alegria? A minha magia? Bem dessas… não sei!
publicado por crowe às 19:09
tags:

Janeiro 2005
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
13
14

18
19
21
22

24
25
26
27
29

31


Porque sim!

links
as minhas fotos
mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO