There is always more then meets the eye!

05
Mai 05
Apesar da noite escura, via-te nitidamente. Perdido no areal da praia. Estatelado na areia como se estivesses em casa protegido do frio. Não entendia o olhar, sequer entendia o sorriso imbecilmente feliz que tinhas no rosto. Mas ele estava lá para quem o quisesse ver! O Verão aproximava-se e tu estavas prontinho para mais uma temporada de praia… feliz e contente com os silicones que ai vinham! Não sei se era a brisa do mar ou os longos meses em que não vislumbrei o teu sorriso... sei, que nesse momento o achava irresistível e se tinha clonado nos meus lábios! Caminhei pela berma da água, segurando a barra do meu vestido, ouvindo a tua conversa contigo mesmo... parecias um tonto alegre com algo que não percebi. Não fui ter contigo apesar da vontade! Sentia saudades das nossas conversas longas e genuínas... brutalmente frontais e sinceras! Mas deixei-te ai com a alegria contagiante e a tua conversa desconexa! ... Perdida olho o mar lá em baixo… Abraço os joelhos e sorrio aos vizinhos que passam debaixo da minha janela. Agarro no livro de onde não vou ler uma só palavra esta tarde. Não percebo o mundo… o vazio à minha volta! Mas sinto saudades tuas... e quase estico o braço para pegar no telefone para te ligar! Apetecia-me dizer-te olá! Com a voz rouca de quem cantou toda a noite e caminhou à beira mar a largas horas da madrugada. Agarro o livro novamente, para novamente perceber que não irei ler nada! Hoje a cabeça está cheia e o mar azul e lindo... a contrastar com o verde da Arrábida... apetecia-me saber voar mas... nem sei nadar! ... O livro descansa no meu colo. Que descansa no meu corpo afundado numa rede grande... os meus pensamentos estão encalhados em ti! Se esta noite te vir... dar-me-ei aquilo de que necessito para finalmente desencalhar estes pensamentos! ... Nessa noite não te vi... na madrugada quente e insone sentei-me à varanda e lá estavas tu! Numa das tuas festas de praia, com fogueiras proibidas e muita gente contente e alcoolizada! Corri a vestir o meu vestido e correr até ti! Parei defronte à fogueira e reconheceste-me! Conversámos as conversas de que tantas saudades tinha. Clonámos sorrisos um no outro e dançámos como pagãos em volta da fogueira. O sol estava nascer... a minha deixa... -Mas o fogo ainda está forte ! - dizias tu. -Partimos quando o fogo se apagar. –Clonaste o teu sorriso em mim e fiquei. O sol nascia do mar e o fogo esmorecia. Precisava desencalhar! Segurei-te no rosto e beijei-te! Nunca o beijo tinha superado o seu prelúdio... precisava dele para terminar a fantasia. Quando parámos de nos beijar tu sorrias e eu corava. O fim que antecipava parecia-me o início de novo tormento. Abraçaste-me e começaste a caminhar comigo pela praia. ... Naquela tarde comecei a aprender a nadar. Entre prelúdios de novas coisas fui aprendendo a voar com um sorriso clonado no rosto e concretizações de beijos!
publicado por crowe às 22:56
tags:

Palavras bonitas! Obrigado pela tua visita ao meu blog. Mil beijinhos!sussurros da lua
(http://blogfullmoon.blogs.sapo.pt/)
(mailto:sdrcarvalho@hotmail.com)
Anónimo a 8 de Maio de 2005 às 17:25

Palavras bonitas! Obrigado pela tua visita ao meu blog. Mil beijinhos!sussurros da lua
(http://blogfullmoon.blogs.sapo.pt/)
(mailto:sdrcarvalho@hotmail.com)
Anónimo a 8 de Maio de 2005 às 17:25

Adorei ... beijo grande.Luna
</a>
(mailto:a_ezequiel@iol.pt)
Anónimo a 6 de Maio de 2005 às 21:38

Ta lindoooooooooo :-))) beijoPasso
</a>
(mailto:Passodianisto@hotmail.com)
Anónimo a 6 de Maio de 2005 às 11:45

Maio 2005
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
12
13
14

15
16
17
18
19
20
21

22
26
27
28

29
31


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Porque sim!

links
as minhas fotos